Cidade para as Mulheres

O grupo de estudo “Cidade Para as Mulheres” surge do reconhecimento de que o acesso à cidade e se dá de forma desigual entre homens e mulheres, desigualdade essa que vai de encontro com a missão do Laboratório da Cidade:

Artigo 2º. O LdC tem por missão repensar as cidades, suas dinâmicas e transformações, almejando cidades mais humanas, democráticas e sustentáveis. Acreditando na participação e colaboração entre diferentes atores da cidade na elaboração e execução de planos, projetos e programas que busquem as sustentabilidades ambiental, social e econômica no meio urbano.

A busca pela construção de uma cidade mais humana, democrática e sustentável sob o prisma do gênero pode nos ajudar a diminuir desigualdades no meio urbano, uma vez que pode funcionar como um termômetro de apropriação democrática do espaço, afinal quando a cidade é segura para a mulher, a cidade é segura para todos.

Além de buscar uma cidade para a mulher, devemos buscar uma cidade pela mulher, por isso é imperativo incluir a mulher no papel de tomadora de decisão, seja em métodos participativos de desenho de projetos, seja no papel de produtora do espaço (arquiteta, urbanista, engenheira, geógrafa…), seja no campo político, desenhando políticas públicas.

Justamente com o intuito de incentivar a maior participação de mulheres na construção do futuro que queremos, o Cidade Para as Mulheres tem como objetivo repensar nossas cidades, suas dinâmicas e transformações numa perspectiva de gênero, buscando com isso espaços urbanos mais humanos, democráticos e sustentáveis sob três eixos temáticos:

  1. Segurança;
  2. Mobilidade Urbana; e
  3. Representação.

Valendo-se das seguintes estratégias:

  1. Encontros periódicos para debates e troca de conhecimento;
  2. Palestras, mesas redondas e workshops;
  3. Produção de conhecimento ao apoiar pesquisas, relatórios e coleta de dados que subsidiem o debate e a formulação de políticas públicas de produção da cidade sob o prisma do gênero;
  4. Desenho colaborativo de projetos e intervenções que respeitem a missão do grupo e do Laboratório da Cidade.

Leituras Recomendadas:

Por que cidades feitas para mulheres são mais igualitárias

As mulheres movem a cidade

How to Design a City for Women

Articulador Fundo Casa

O Laboratório da Cidade (LdC) em parceria com o instituto Peabiru, foi selecionado como articulador da Região Metropolitana de Belém no programa “Fortalecendo Comunidades para a Construção de Cidades Inclusivas, Resilientes e Sustentáveis” promovido pelo Fundo Socioambiental Casa em parceria com o Fundo Socioambiental Caixa e a Fundação OAK.

O Programa surgiu com objetivo de viabilizar financeiramente o trabalho em rede e a consolidação de movimentos e grupos sociais que trabalham em prol de melhorias em suas cidades, principalmente no que diz respeito à temática Socioambiental. O programa segue agora para sua segunda etapa: a seleção dos projetos que serão apoiados, serão até 15 projetos em cada uma das 10 regiões metropolitanas contempladas.

O LdC terá como papel potencializar os trabalhos e a atuação em REDE na temática de Cidades Sustentáveis e a capacidade de enfrentar os desafios socioambientais destas cidades.

Mais informações em:

Casa.org.br

peabiru.org.br

Circular Campina-Cidade Velha

34034016_376402499538379_2984411519443271680_n

Edição de Junho de 2018

Neste domingo, 3, o Laboratório da Cidade (LdC) volta à programação do Projeto Circular. Em sua segunda participação, o LdC dobra também os pontos de intervenção: agora além da travessa Felix Rocque, o grupo também se voltará para o largo de São João. O objetivo da ação é propor à sociedade a reflexão sobre como os dois locais hoje são subutilizados pelo povo de Belém – e o que pode torna-los mais atrativos. A programação do LdC terá início pela manhã no largo de São João e à tarde na Felix Rocque, com música, oficinas, arte, esporte e lazer.

Laboratório da Cidade, Associação dos Microempreendedores da Passagem do Carmo e Verde Cidadão

Local: Largo do São João

Praça de alimentação com café da manhã e almoço, graffiti ao vivo com Almir Trindade e Dedé Farias e rua pintadinha – para a criançada desenhar a rua dos seus sonhos o dia inteiro.

9h às 10h – Inscrições para a Escola Bike Anjo

9h às 11h – Iniciativa de coleta seletiva da Cidade Velha

9h às 12h – Verde Cidadão e revitalização do Largo de São João

10h às 16h – Visitação à capela de São João

10h às 12h – Vem aprender a pedalar com a Escola Bike Anjo

10h às 12h – Brincadeiras de Rua

15h às 16h – Oficina de conforto para ciclistas mulheres

16h às 17h – Música ao vivo com Messias Lyra e Armando Hesketh

17h às 18h – Quadrilha Junina com DJ Faca

Laboratório da Cidade e Caruana’s Vaa

Local: Travessa Felix Rocque

Se Essa Rua Fosse Tua a tarde inteira.

15h30 e 16h30 – Canoas Havaianas

17h – Música de Marcel Barreto ao pôr-do-sol

IMG-20180408-WA0039

Edição de Abril de 2018

O Laboratório da Cidade estará neste domingo pela primeira vez na programação do Circular, mais precisamente na Travessa Félix Rocque com Rua Siqueira Mendes, coração da Cidade Velha. A atividade, intitulada “Se Essa Rua Fosse Tua”, faz uma provocação aos munícipes de Belém e acende o debate sobre a participação dos cidadãos nas mudanças da cidade. Para te ajudar a decidir, o LdC vai ofertar atividades diversificadas: saída fotográfica, oficinas, exibição de filmes, aulas de canoagem e shows. Se interessou? Basta chegar junto, a partir das 7h30, que a rua é sua.

O Laboratório da Cidade é um Think and Do Tank, que busca repensar nossa cidade elaborando projetos que busquem espaços urbanos mais humanizados, democráticos e sustentáveis. Para isso, utiliza estratégias como Placemaking, Urbanismo Tático e Acupuntura Urbana, com trabalho voluntário e colaborativo.

“O projeto circular presta um serviço de extrema importância para a cidade de Belém, traz benefícios sociais ao valorizar nossa cultura, benefícios econômicos ao dinamizar a economia cultural e valorizar os estabelecimentos do centro e benefícios ao espaço urbano, ao valorizar nosso patrimônio histórico. Tudo isso de forma colaborativa, criando uma rede de instituições, estabelecimentos comerciais e organizações sem fins lucrativos, unindo forças e multiplicando os resultados. É uma honra para todos que fazem parte do Laboratório da Cidade poder participar de um projeto como esse. Esperamos poder contribuir com o projeto por bastante tempo”, diz Lucas Nassar, coordenador Laboratório das Cidades.

Seguindo essa lógica propomos uma intervenção urbana na Travessa Félix Rocque com arte, música, educação, esporte e lazer. O início será às 7h30, com a saída fotográfica conduzida pelos parceiros do Belém Photos, alinhados na ideia de valorizar a cidade. Nesta caminhada, o instrutor Lucas Ohana vai nos conduzir pela Cidade Velha e nos instigar a responder duas perguntas: como enxergamos Belém e o que de fato conhecemos de nossa cidade?

E se em Belém os rios são ruas também, que tal ocupar a orla da cidade de um jeito diferente? A partir de 8 horas haverá atividades de Va’a, popularmente conhecida como canoa havaiana, promovidas pelo clube Caruanas Va’a. “A ideia é circular pelo centro histórico a partir de uma perspectiva diferente”, explica Larissa Noguchi, uma das fundadoras do clube.

Para pensar mais sobre a cidade que vivemos e as mudanças que podemos encontrar nela, haverá três sessões da oficina “Te Enxerga Belém”, nesta ocasião com o tema “Se Essa Rua Fosse Minha”. A oficina fará um trabalho específico no Centro Histórico, discutindo a imagem do local e sua acessibilidade, perpassando pelo conceito do Urbanismo Tático para finalmente tentar responder: e se essa rua fosse minha?

No início da tarde o papo vai ser cinema: às 13h50 está prevista a exibição do documentário “Cidadã Jane: A Luta Pela Cidade”. A película será exibida no Fórum Landi.

O filme fala sobre a vida da lendária escritora e ativista urbana Jane Jacobs, que lutou para salvar bairros históricos de Nova York a partir dos planos de remodelação do implacável Robert Moses, na década de 1960.

E, quando o sol começar a se pôr sobre a baía, será a hora de contemplar a beleza natural da nossa cidade ao som do guitarrista Marcel Barretto.

Serviço:

Laboratório da Cidade: Se Essa Rua Fosse Tua?

Programação:

7h30 – Saída Fotográfica com o Belém Photos

Circular pela Água com Caruanas Va’a

8h (sentido Portal da Amazônia)

10h (sentido Ver-o-peso)

15h (sentido Ver-o-peso)

9h/11h/16h – Oficina Te Enxerga Belém / Se Essa Rua Fosse Tua

13h50 – Cinema com exibição do documentário “Cidadã Jane: A Luta pela Cidade” (Forum Landi)

17h – Pocket show com Marcel Barretto

WhatsApp Image 2018-04-03 at 15.10.41 (1)

Te Enxerga Belém

Versão 2.0 da Dinâmica

Porque?
O Projeto busca instigar o cidadão a se apropriar da cidade ao percebê-la sob um novo prisma, o objetivo final é de que ao se apropriar de seu habitat, o usuário do meio urbano crie consciência do seu papel e essa conscientização gere engajamento.


O que?
O projeto tem como base o trabalho do urbanista norte americano Kevin Lynch, especialmente inspirado no seu livro “A Imagem da Cidade” que apresenta o resultado de uma pesquisa centrada em como moradores percebem a cidade, interpretam sua estrutura, imagem e usam estas percepções para navegarem e apropriarem-se do meio urbano.
Como?
A dinâmica proposta está dividida em até cinco momentos (totalizando 120 minutos)
com possíveis supressões, a depender do tempo disponível:
1. Introdução do Laboratório da Cidade;
2. Mapa da Imagem da comunidade;
3. Mapa pessoal de percursos;
4. Dinâmica de cartazes e expressões pessoais; e
5. Introdução ao urbanismo tático e proposta de intervenção.